A força do entusiasmo

Informam que a palavra entusiasmo significa Deus em nós. Portanto, bem-aventurados os entusiastas da vida. Quando o físico Arquimedes tomava banho na sua banheira, percebeu que seu corpo perdia peso quando mergulhado na água. Tinha, assim, descoberto a chamada lei da hidrostática. Tomado de grande entusiasmo, perdeu o sentimento de pudor e saiu, nu, pelas ruas de Atenas, gritando “Eureka! Eureka!, que quer dizer: achei! achei!

O entusiasmo é uma força extraordinária. Sob o seu domínio fazemos grandes coisas. É o contrário do desânimo, que é uma espécie de praga.

Tal sentimento rejuvenesce a pessoa. Seja na descoberta de uma lei, seja na contemplação de um nascer do sol, seja na audição da parte final da Nona Sinfonia de Beethoven, em que o mestre de Bonn exaltou a alegria, inspirado num poema de Schiller.

A propósito do entusiasmo, que é irmão da fé, Jesus sempre o exaltou, chegando a dizer que se tivermos uma fé do tamanho de um grão de mostarda, diríamos a uma montanha: “arreda-te daí”, e ela sairia mansinha como um cordeiro. E é do mestre a receita: “pedi e vos será dado, buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á”.

Veja aí que força é o entusiasmo. Com ele o homem se sente um verdadeiro deus. O entusiasmo como a fé curam enfermidades. Eu adoro ver um médico alegre. Sim, a fé é um remédio. Um remédio que não se compra na farmácia. E quando o Mestre curava, costumava dizer ao enfermo: “a tua fé te curou”. Fosse ele um cego, um paralítico, um leproso, um mudo. Qual é o médico que diria isto a um doente? Perderia logo o direito à percepção dos honorários...

A conclusão é que sem entusiasmo não se faz nada. Não fosse ele, e o nosso Dumont não teria inventado o avião, contornando a torre Eiffel com aquela geringonça, embora terminasse sua vida pelo suicídio, enforcando-se numa gravata. Mas aí o problema foi de ordem mental.

E que dizer do nosso simpático e extraordinário Juscelino construindo uma cidade em pleno deserto goiano? Um presidente feito de entusiasmo, e cujo sorriso fazia bem a todos que o viam.

Dirá você que necessita de uma motivação. Concordo. Acontece que motivações não faltam na vida. O problema é saber descobri-las.

Acontece que muita gente não percebe as bênçãos que possui, deixando-se dominar pelo pessimismo, que não leva a nada, pela inatividade, pela depressão.

E viva este sol, com o seu sorriso de luz, chamando-me para caminhar. O sol é todo entusiasmo. E, percebendo mais, constataremos que tudo é alegria na Natureza: o vento, o cantar dos pássaros, o balé das ondas, o agitar dos coqueiros... O homem é que, às vezes, é triste... Dir-se-ia cercado de maravilhas e não sabe. No entanto, seu coração continua pulsando, o sangue correndo, todo o seu corpo trabalhando para que ele viva.
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), cronista paraibano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário