A parábola do Samaritano

Está aí uma das mais belas parábolas narradas por Jesus. A parábola do Bom Samaritano. E, aqui para nós, não há instrumento didático mais atraente do que a parábola.

Jesus foi um grande contador de parábolas. Duas delas são famosas: a do bom Samaritano e a do filho pródigo, que abandonou o lar paterno para voltar arrependido. Esta última está narrada num quadro de Rembrandt, que vimos lá no museu Hermitage, em São Petersburgo.

Mas, vamos à do Bom Samaritano. Parábola que nasceu da pergunta que os discípulos fizeram a Jesus - “Mestre, quem é o meu próximo?” - pois, Jesus falava muito do amor ao próximo, e seus seguidores não entendiam bem. E a parábola foi a resposta:
Um homem descia de Jerusalém para Jericó, cidade comercial e de grande movimento. Aconteceu que esse homem foi assaltado pelos bandidos, deixando-o abandonado e ferido à margem da estrada.

Primeiro, passou um sacerdote e se afastou do homem ferido, decerto com medo, e continuou a sua caminhada. O que não é de se estranhar, porquanto, não se sabia se havia outros bandidos por perto. Não nos cabe julgar o procedimento desses religiosos. Cada qual se ponha no lugar deles.

Depois passou um levita, homem também religioso, ligado aos seguidores de Levi, que, segundo está no Evangelho, “passou ao largo”, ou seja, de longe.

Aconteceu que um samaritano, que era um tipo mal visto pelos judeus, não pensou duas vezes. Sentiu a dor do outro. Compartilhou com ele. Tratou de suas feridas, lavando-as com vinho e azeite.

Mas não ficou nisso só não. O samaritano terminou levando o ferido para uma hospedaria, se responsabilizando por todas as despesas. Ele fez a caridade completa: sentiu a dor do outro e agiu em seu favor. A parábola, que começa com uma pergunta, termina com uma resposta.

“Quem é meu próximo?” Aquele que está no seu caminho, que você, na sua pressa de viver, não o vê... E Jesus foi taxativo: “ama ao teu próximo como a ti mesmo”. Que lição difícil...

Muita gente não sabe ainda o que vem a ser caridade. Andou bem o Espiritismo, erigindo como seu lema maior: “Fora da Caridade não há salvação”.

E o que é caridade? Quer ver uma definição muito bacana, para mim, completa?: “Benevolência para com todos, indulgência com as faltas alheias e perdão pelas ofensas”.
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário