A lição da transcendência

Jesus, quando não estava ensinando e curando, gostava de visitar os amigos. Visitar e ensinar. E uma dessas visitas era ao seu querido amigo Lázaro. Bem-aventurado aquele que o recebia em casa.

Aconteceu que Jesus, numa certa manhã, resolveu matar as saudades do amigo Lázaro e de suas irmãs. E eu fico pensando: como você se comportaria com o Mestre em sua casa? Sem dúvida, com muita emoção.

Pois bem, Jesus passou a manhã na casa do seu grande amigo, cujas irmãs, Maria e Marta, estavam presentes. Maria foi a primeira a abrir a porta e saudar o ilustre visitante. E ficou permanentemente ao seu lado, morrendo de alegria. Não era possível: Jesus em sua casa? Já a irmã, Marta, correu para a cozinha. E haja a arrumar a casa, esquecida da presença do iluminado visitante. Espanador, aqui, vassoura acolá, pois Jesus talvez notasse algum desleixo na sua casa, pensava ela. E Maria, o que foi que fez? Desde que o Mestre chegou que não saiu mais de perto dele.

Jesus aproveitou o momento e começou a falar da vida eterna. Sempre aproveitava a oportunidade para ensinar, alertar, divulgar sua consoladora doutrina. E Marta na cozinha, arrumando, limpando, passando pano no chão, indiferente aos ensinos de Jesus.

Maria não cabia em si de contente. Estar com Jesus frente a frente, ouvir-lhe a voz mansa, a palavra que liberta. Ela junto do Mestre e Marta às voltas com as caçarolas, preocupada com o almoço. Marta suada de trabalhar e Maria encantada com a palavra do Mestre.

Aí deu-se o que não se esperava. Marta saiu da cozinha e ainda limpando as mãos no avental, dirigiu-se ao Mestre e fez uma reclamação, dizendo que Maria, ao invés de estar lhe ajudando, ficava ouvindo o que Jesus ensinava. Pediu para que ele mandasse a irmã lhe ajudar na cozinha.

O Mestre sorriu e disse: “Marta, Marta! Tu te preocupas com muita coisa, no entanto, uma só é necessária, e esta Maria escolheu”.

O que foi que Marta aprendeu, arrumando a cozinha? Deixar passar a oportunidade de ouvir a palavra iluminada de Jesus, trocando pelo barulho das caçarolas e da vassoura? E se houvesse TV, naquela época, decerto ela preferiria assistir a uma novela. Cuidado, há muita gente como Marta...

Eis aí uma lição para todos nós. Jamais devemos ficar indiferente à verdade que consola e liberta. Maria soube escolher. E neste mundo, quantas pessoas ainda estão indiferentes aos ensinamentos do Mestre! Mesmo os que se dizem cristãos. Preocupam-se com o sexo, com o dinheiro, com o poder, com a aparência, com as coisas materiais, menos com “os tesouros que a traça não rói”.

Marta na cozinha e Maria junto de Jesus. Que diferença... O Evangelho tem muitas histórias dessas. E se você nunca leu o Evangelho, a lição de Jesus, que é o caminho, a verdade e a vida, está fazendo como Marta.

E viva a lição da transcendência!
O AUTOR
Carlos Romero é escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras e tem a crônica como forma literária favorita. Um estilo no qual retrata com forte dose de lirismo e humor suas sensíveis observações acerca do cotidiano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário