Uma catedral de livros

Uma catedral de livros começou a ser construída no dia 18 de abril de 1857 e já está bastante avançada. Que coisa extraordinária! Mas, só no final, é que vou dizer que catedral é esta.

Voltemos um pouco na História. Jesus nunca construiu templos de pedra. Ele sabia da fragilidade das construções materiais feitas pelos homens. Tanto é assim que nunca edificou um templo. Falava nas igrejas dos outros. Para ele, a verdadeira catedral é a de sua doutrina consoladora, o Evangelho, que significa Boa Nova.

Foi tão humilde que nasceu numa manjedoura, entre animais domésticos. Ele sempre dizia que era humilde de coração e que não tinha uma pedra onde repousar a cabeça. O importante para ele era o conhecimento a Verdade que liberta. Não possuía igrejas. Tanto é assim que pregava ar livre, sentindo no rosto o beijo da brisa matinal. Assim foi quando proferiu o seu primeiro sermão, o Sermão da Montanha, onde está resumida toda a sua Doutrina de luz.

Jesus também disse aos discípulos que seu precursor, João Batista era um homem simples, que não usava vestidos finos, nem morava em palácios... Isso ficava para os reis...

Portanto, sua catedral é o Evangelho, que não é feita de cimento, pedra, cal e ferro. Uma catedral da sabedoria, que liberta o homem da ignorância.

E a catedral que me mencionei no início é a catedral de livros espíritas, que se iniciou no dia 18 de abril de 1857, em Paris, com o lançamento de “O Livro dos Espíritos”, por Allan Kardec, há 158 anos. De lá para cá, quantos livros estão sendo publicados, formando uma impressionante literatura, escrita pelos homens e pelos espíritos! Duvida? É só ir às nossas livrarias, onde os livros espíritas estão entre os mais vendidos. Esta é a verdadeira catedral que consola e liberta.
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário