A verdade e a mentira

O grande Chico Xavier chegou a dizer que “é melhor uma mentira que consola do que uma verdade que magoa”. Isso nos leva a algumas considerações. Afinal, a mentira é um mal ou um bem? Depende, pois nem sempre a verdade deve ser dita. Estão aí os médicos que, em certas circunstâncias, são forçados a omiti-la diante do paciente.

O velho Eça já sentenciava que devemos “vestir a verdade com o manto diáfano da fantasia”. Nada de verdade nua e crua. Nada de franqueza demais. Diria ainda que a verdade é como a luz. Demasiado forte pode cegar. Não foi assim com o apóstolo dos gentios, Paulo de Tarso? Quando se defrontou com Jesus, que era a verdade, não suportou a intensidade de sua luz, ficando cego por algum tempo...

A mentira é uma ilusão e a vida muitas vezes precisa dessa ilusão... Por conseguinte podemos dizer aqui que a mentira é um mal necessário.

Quando eu era menino vivia rodeado de mentiras. Mentiras que vinham da boca dos adultos. Mentira de “papa-figo”, mentira da cegonha, mentira de Papai Noel, mentira de Satanás. Chegaram até a me informar que quem conseguisse atravessar o Arco Íris, mudaria de sexo. Ora vejam só...

E qual é a maior mentira de todos os tempos? Eu diria que é aquela que está no chamado livro sagrado afirmando que a mulher nasceu da costela de um homem, inaugurando, assim, o machismo no mundo.

A Justiça exige que o réu diga a verdade, só a verdade. Será que ele confessa, realmente, o que aconteceu? E o seu advogado usará de sinceridade?

A mentira é muitas vezes filha do medo. A criança, com medo de ser castigada, mente. É a vez de dizer que aquele que nunca mentiu que atire a primeira pedra...

E os jornais? Será que dizem sempre a verdade? E os políticos? Quer ver uma grande mentira, que está na História? Aquela que afirmava ser a nossa Terra o centro do Universo. Mentira que foi contestada pelos cientistas da época, a exemplo de Galileu e Copérnico. Quem estava no centro não era a Terra, mas o Sol. E o pobre Galileu, com medo de ser tragado pela fogueira da Inquisição, foi obrigado a mentir, a desdizer o que afirmava, baseado na realidade.

Dizer a verdade é um perigo, em determinadas circunstâncias. E corajoso é aquele que a prega, doa em quem doer. As grandes descobertas e invenções foram, muitas vezes, rejeitadas como mentirosas. E sabe de uma mentira que muita gente aceita como verdade? A que diz que os chamados mortos estão repousando no cemitério, aguardando o Juízo Final...

Pilatos, político inteligente, que vivia rodeado de mentiras, achou de fazer aquela famosa pergunta a Jesus: O que é a verdade? O mestre deu o silêncio como resposta. E fez muito bem.

Recordo que, no meu tempo de menino, minha mãe me dizia que quem mente, cria verrugas na mão. E eu morria de medo...

Mas, o importante é a verdade de cada um, como escreveu Pirandelo. E fiquemos por aqui, lembrando a recomendação de Jesus: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará".
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), cronista paraibano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário