Conversando com o mar

Era muito cedo ainda, quando me aproximei do gigante, que estava meio sonolento. Sua presença me fez muito bem. Que majestosa beleza. Corri meus olhos por sua amplidão e disse com os meus botões: “Isto não é mais um mar. Isto é Deus!” Sim, o mar é a presença divina ensinando muitas lições aos que têm olhos de ver.

E sua primeira lição era sobre a constante mutação da vida. Tudo muda, nada permanece. Veja o jogo das ondas, aquele recuar e avançar constantes, como a dizer, que tudo nasce e renasce. As ondas crescem, se avolumam, e depois se diluem em espumas. Sim, e as espumas, esses sorrisos do mar? Depois de se transformarem em espumas, as ondas recuam e vão formar outras ondas. Coisa que está me parecendo muito com reencarnação... Tudo vai e tudo vem, no jogo da evolução.

Só sei que o mar me ensinou muita coisa, nesta manhã de sol. E pus-me a orar, não com palavras. Uma oração muda que nada pedia, apenas agradecia. Agradecia a presença daquele gigante, que não anda, mas dança.

Mas o mais interessante é que ele é uma majestade, no entanto, é humilde. Humilde como Jesus foi. Assim como o Mestre lavou os pés de seus discípulos, o mar também lava os nossos pés com suas espumas. O gigante torna-se pigmeu. Torna-se menino. Menino brincando de conchinhas...

E o mar, sendo um deus, não faz barulho. Seu barulho é chamado de marulho, que agrada aos nossos ouvidos. Quem faz barulho é o homem, quando se transmuta em demônio... O cantor Caymmi disse que “É doce morrer no mar”. Não, doce é conversar com o mar. Dialogar com ele, aprender com ele, Não existe melhor terapia. Você, que é um homem de negócio, não se esqueça de, vez por outra, ir conversar com o mar. Faz bem ao corpo e a alma.

Jesus adorava caminhar à beira-mar. Certa vez, os apóstolos arregalaram os olhos de susto quando o viram caminhando sobre o mar de Tiberíades. E Ele ainda chamou Pedro para acompanhá-lo. O apóstolo tentou pisar nas ondas, mas terminou hesitando, com medo. “Ah, homem de pouca fé!” - disse-lhe Jesus. É a tal coisa, viver bem é ter fé. Quando esta falha, vêm a depressão, o medo, a doença. Para isso, a melhor terapia é dialogar com o mar...
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), cronista paraibano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário