A Santíssima Trindade da vida

Eis a Santíssima Trindade da vida, segundo o meu curto entendimento, e que tem como sigla: VBB: Verdade, beleza e bondade. A vida se expressa através delas.

Comecemos pela verdade, a verdade que Pilatos queria mesmo saber, mas que Jesus deu o silêncio como resposta. A vida está cheia de verdades e mentiras. A lei feita por Deus é uma verdade, já o dogma feito pelos homens é uma mentira, uma falsidade. A verdade é a lei. Está evidente na expressão: “Dura lex, sed lex”, a lei é dura, mas é lei.

Machado de Assis dizia que a verdade embriaga como o vinho. Não haveria aí um equívoco? Quem se embriaga está fora de si. A verdade elucida, a verdade não mente, a verdade não engana, a verdade é dura. E muita gente foge dela, procura esquecê-la. Quer ver um fato em que a verdade apareceu vestida de mentira? Foi quando se acreditou que a nossa Terra girava em torno do Sol, e não o contrário. Sim, minha gente, a Igreja com toda a sua sabedoria cometeu este triste equívoco. E chegou a condenar o físico Galileu por não concordar com a Madre. Nunca uma mentira foi tão prestigiada...

Vamos adiante. Desde que o mundo é mundo, que os corpos são atraídos para o centro da Terra. Ninguém indagou sobre esse fenômeno. Mas um cientista chamado Newton, viu uma maçã caindo da macieira e descobriu a Lei da Gravidade... Há muito tempo que caem maçãs e outras frutas e ninguém indagou sobre esse natural fenômeno.

Viva, portanto, a verdade, e morra a mentira. Morra o preconceito, que, segundo Einstein, é mais difícil de se desintegrar do que um átomo. Acontece que a maioria das pessoas adora a mentira, a ilusão. Quer ver uma verdade que faz muita gente correr? A chamada lei da reencarnação, a única que explica as desigualdades do mundo. Quer ver outra verdade? Jesus. E quer ver um mentira? Papai Noel. O nosso mundo adora a mentira e tem medo da verdade. Mas Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. E o Procurador Pilatos nem sabia disso...

Viva a Ciência que revelou muitas verdades. Uma delas é que nosso sangue não está parado, como pensava-se, antigamente.

Quem está esperando sua vez na crônica é a beleza. Que seria do mundo sem ela? Viva a mulher, símbolo de beleza, a Natureza, a Arte, e uma vida bem vivida. A vida de um Chico Xavier, a vida de uma Teresa de Calcutá...

E terminemos a crônica falando de bondade. Bondade lembra amor, amor lembra luz, luz lembra Deus. Disse um grande missionário que o amor é Deus dentro de nós. Sim, descubramos o nosso Deus interno.

“Brilhe a vossa luz” - sentenciou o Mestre dos Mestres. A luz divina está escondida dentro de nós. Não esqueçam que, desde Descartes, confirmada por André Luiz, através da psicografia de Chico Xavier, foi descoberta dentro do nosso corpo uma glândula minúscula, chamada Epífise, glândula da vida mental, por sinal luminosa.

Muito cuidado, então, com os nossos pensamentos, as nossas palavras, os nossos atos. E viva o amor, que é Deus dentro de nós!
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), cronista paraibano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário