A maior lição do mestre

Gostei de me reencontrar com o meu amigo Wilson Farias, procurador, globe-trotter dos melhores, que já pisou muito chão estrangeiro pelo mundo afora, e de onde sempre me mandou belos cartões postais, hoje residindo em Copacabana. Mas, vez por outra, Wilson está aterrissando na terrinha para visitar os familiares e amigos, a começar pelo seu irmão desembargador Onildo Farias e a cunhada Terezinha, ambos formando o casal mais distinto e feliz do mundo.

Logo que recebi o seu telefonema, reservei o fim da tarde da última quinta-feira para lhe fazer uma visita. E foi uma grande alegria rever Wilson, agora ostentando, com muito orgulho, uma elegante cabeleira branca. Na ocasião, batemos um agradável papo, sob a carinhosa hospitalidade do casal anfitrião, a que não faltou um delicioso lanche.

Acontece que a alegria desse reencontro veio acompanhada de tristeza. Informou-me Wilson o recente falecimento do mestre Mauro Coelho, magistrado federal, ex-professor do velho Lyceu Paraibano, onde ensinava com muito humor, amor e cultura, a História do Brasil.

Mauro Coelho, se não estou equivocado, era tio do desembargador do trabalho, meu amigo e ex-colega Carlos Coelho, atual presidente da nossa Corte Trabalhista.

Voltando a Mauro, diante dele, tenho certeza que o filósofo grego Diógenes, que andava em plena luz do dia, de lanterna em punho, à procura de um homem honesto, apagaria e guardaria a sua lâmpada ao encontrá-lo. E diga-se de passagem que o nosso amigo Onildo, seu irmão, não fica atrás.

Feliz daquele que sai deste mundo levando consigo o céu da consciência tranquila, isenta de remorsos e ressentimentos. É o caso de Mauro Coelho, cuja vida foi um exemplo de dignidade e bom caráter, seja como magistrado, seja como chefe de família.

Lembro-me dele com muita fidelidade, um homem profundamente religioso. Seu espírito está em paz pela vida exemplar que levou, aqui no mundo. Uma vida que foi uma lição para todos nós.
O AUTOR
Carlos Romero é escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras e tem a crônica como forma literária favorita. Um estilo no qual retrata com forte dose de lirismo e humor suas sensíveis observações acerca do cotidiano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário