A busca do prazer

Eles vêm de longe para ficar mais perto do mar. Sempre nos feriados e domingos. Não são ricos, portanto, não possuem automóveis. Para a caminhada usam os pés. Os pés, que são os veículos dos mais pobres. Moram à margem de uma avenida, que se chama Beira-rio, e o rio não é outro, senão o Jaguaribe, que também é um pobre rio, poluído, abandonado, que, muitas vezes, zangado, não deixa ninguém passar na avenida.

Repetindo, eles vêm de longe, molhados de suor e iluminados de alegria, a alegria de estarem vivos apesar de tantos problemas em suas vidas.

O mar ainda está distante. O mar imenso e belo de Tambaú e Cabo Branco. Um mar que tem qualquer coisa de divino. Mar dos ricos e mar dos pobres.

Mas estou, aqui, da varanda do apartamento, vendo-os na caminhada em busca do mar, que não exige nenhum pagamento para possui-lo. Um mar gratuito, que beleza.

Eles caminham alegres, como se fossem para uma festa. Homens, mulheres e crianças. Crianças segurando a mão dos pais , crianças carregadas nos braços, que o calor está brabo. E não caminham em silêncio, mas sempre conversando. Conversando e rindo, como se a vida fosse um piquenique. E até os cachorros lhes servem de companhia.

Do outro lado, paralela à Beira-rio, está a sofisticada e rica avenida Epitácio Pessoa. onde você jamais veria um espetáculo como ao que estou me referindo.

Sobretudo nos domingos e feriados é que assistimos àquela andança dos mais carentes, em busca de um pouco de felicidade em suas vidas. Uma caminhada que tem qualquer coisa de romaria. Vão num contentamento infantil, sejam adultos ou crianças. Mas, quando regressam daqueles momentos de prazer, as fisionomias trazem um pouco de melancolia e de cansaço nos seus semblantes. Voltam para uma realidade que eles procuraram esquecer por alguns momentos.

Beira-rio, que beira a pobreza, que beira o mar.
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário