Chico Xavier é eleito o maior brasileiro de todos os tempos

Quem me telefonou foi meu filho Germano, me dando uma notícia que eu jamais esperei. Julguei até que ele estivesse sonhando. Mas não era sonho. Era verdade.
O nosso querido, ecumênico e pacífico país tem dessas coisas... Mas, afinal o que foi que Germano me disse, através do telefone?
Disse apenas isto: o extraordinário médium Francisco Cândido Xavier, o nosso querido Chico, foi votado como “O Maior Brasileiro de todos os Tempos”. Votação maciça para um homem que, desde criança, era considerado doido, somente porque via espíritos. Um homem pobre, sem cultura, doente, mas cujas mãos foram orientadas pelo guia Emmanuel e outros chamados mensageiros da Espiritualidade. Uma bibliografia vastíssima saída das mãos rudes deste grande médium: obras científicas, literárias, filosóficas. Dentro de uma rigorosa disciplina, por determinação de Emmanuel, o nosso Chico não soube mais o que era repouso. Segurava apenas um lápis nesse trabalho mediúnico. Lembrar que o grande missionário consolou muita gente.
Chico Xavier foi o exemplo vivo de um verdadeiro cristão... Não ganhou um centavo com o seu trabalho. Deu de graça o que de graça recebeu, como recomenda o Evangelho. Assim como a luz não conhece as trevas, o mesmo diríamos do médium. É um iluminado.
Dele, estes pensamentos: “A verdade que fere é pior do que a mentira que consola”; “Fico triste quando alguém me ofende, mas, com certeza, eu ficaria mais triste, se fosse eu o ofensor”; “Verdade que estraga, está destituída de amor”; “O mais difícil não é viver, e sim conviver”; “Descansar mesmo só quando se está no ventre materno”.
Chico Xavier, o maior brasileiro de todos os tempos! Não é sem motivo que o nosso país é chamado “coração do mundo, pátria do Evangelho”.
E para finalizar, que tal transcrever este trecho do livro “Mecanismos da mediunidade”, de autoria do espírito André Luiz e psicografado pelo nosso Chico: “Indução significa o processo através do qual um corpo que detenha propriedades eletromagnéticas pode transmiti-las a outro corpo”.
Como poderia Chico escrever textos profundos, e de forma tão difícil? Ele que teve apenas o curso primário?... Mas, fiquemos aqui. Para um bom entendedor, isso basta.
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário