A solidão do egoísmo


O castigo de quem não ama, ou nunca amou, é a solidão. Os que amam estão sempre acompanhados de amigos. Por conseguinte, leitor, cumpramos o grande mandamento do “amai-vos uns aos outros. ”Difícil, não? Dificílimo. E Jesus disse que se identificariam os seus discípulos por muito se amarem. Esta a grande carteira de identidade do verdadeiro cristão.
Agora uma indagação: Desde quando o homem ama o seu irmão? Não, pelo amor de Deus, não olhe a nossa história, que provou que “o homem é o lobo do homem”, como disse Hobbes, um grande pensador. Já Sartre afirmava que “os outros são o inferno”. E nosso torturado Augusto dos Anjos disse num poema que “o homem que vive entre feras, sente necessidade de ser fera”.
Mas, muita gente poderá monologar: como é possível amar ao próximo como a si mesmo? Para cumprir tão dificílima lição é preciso, antes de amar, compreender. Amar é um sentimento, compreender é um pensamento, um raciocínio. O próximo é um enigma. É preciso decifrá-lo.
O escritor católico Gustavo Corção escreveu um belo livro intitulado “A descoberta do outro”. Muita gente ainda não descobriu o outro, esquecido de que ele é a nossa ponte para Deus. E qual foi a grande recomendação de Jesus? “Reconcilia-te, depressa, com o teu adversário enquanto estás a caminho com ele”. Bote isso na cabeça se queres ser um verdadeiro cristão. Reconciliação e nada de vingança, de ressentimento, nem de indiferença diante do semelhante.
Mas, como disse, e repito, o importante mesmo é compreender o outro. Para amar é preciso antes compreender. Jamais julgar. Da compreensão surge a compaixão, que nada mais é do que se colocar no lugar do outro, sem jamais julgá-lo. Dirá você: é tão difícil isso, senão impossível... Concordo. Mas não se esqueça que para Jesus só seremos seus discípulos e se amarmos uns aos outros. E lembrar que há muitos que conseguiram aprender essa difícil lição...
O ensinamento é muito difícil. Mas, lembremos, enfatizando o que dissemos acima, que são muitos os já conseguiram aprendê-lo e praticá-la, não esquecendo que o castigo do egoísta é a solidão.
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário