A responsabilidade do olhar

Desde que você não olhe, não lhe cabe nenhuma responsabilidade pelo que não viu. O olhar só lhe compromete quando você vê, isto é, observa.

Todo olhar deve induzi-lo a uma reflexão. Ninguém olha em vão. Se tal acontece, a pessoa não tem diferença do cego. Olhar sem ver é mesmo que não olhar.

Somos o nosso olhar. Se você passa e não olha, você perde uma grande oportunidade de observar, consequentemente, de aprender. Dizem que o grande físico Isaac Newton descobriu a lei da gravidade depois que viu a queda de uma maçã. Viu e indagou?: Que força foi essa que fez com que aquele fruto caísse e não subisse?... Daí sua descoberta. A descoberta da lei da gravidade dependeu, pois, de um olhar seguido de uma reflexão.

As crianças aprendem com facilidade porque olham e observam tudo curiosamente. E quem observa, aprende. E por que aprende? Ora, ora, por que reflete, interroga. Se você quer aprender, pergunte sempre. Lembre-se de que foi perguntando às pessoas que Sócrates terminou ensinando-lhes a verdade. Toda pergunta é perturbadora. Quer ver algumas? Por que você está no mundo, de onde veio, e para onde vai?

O grande Buda, que vivia num palácio luxuoso, longe da realidade lá fora, quando conseguiu sair de sua prisão, imposta pelo seu pai, deparou-se com três realidades, que o levaram a uma profunda reflexão. Ele viu um homem morto num caixão, um velho segurando uma bengala e um enfermo. Morte, doença e velhice ensejam muitas indagações sobre a vida.

Bem aventurado aquele que olha e vê. Você já reparou que muitas pessoas se incomodam com o olhar dos outros? Ninguém quer olhar para ninguém. Aí pega um jornal, um livro, ou faz que está dormindo. Conclusão: usemos o olhar com discrição.

Muito cuidado com o mau olhado, o tal “olho gordo”. Quando estive na Grécia, vi um amuleto que se vende lá, uma espécie de “olho azul”, que, segundo eles, afastam mau olhado.

Olhos sadios! Haverá maior benção? Aqui vai um conselho: nunca deixe de depositar uma moeda na mão de um cego. A cegueira é, talvez, a maior das provações.

E termino com esta indagação: como é que você está usando os seus olhos? Não esqueça de que o olhar implica numa grande responsabilidade.

Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário