O mundo melhorou?

Eis aí uma pergunta para o leitor. Decerto, você dirá: claro que o mundo está melhor em comparação com o passado. Outrora, dominava a escravidão, o homem levando chicotadas, o sangue correndo pelas costas, que horror! A peste corria solta pela vida, matando as pessoas. E que dizer da ignorância? Não havia escola, não havia ainda a imprensa, por conseguinte o livro. Luz, nem falar. Dominava a escuridão. E a falta de higiene? Imperava a imundície. Nada de civilização e, sim, barbárie. E naqueles primitivos tempos era só isolamento. Nada de comunicações. A fome era grande. A guerra, uma constante.

Mas como a lei que domina no mundo é a do progresso. Eis que foram surgindo novidades: o comércio ensejando a comunicação, a indústria transformando a matéria prima, a imprensa revolucionando a cultura, a medicina cuidando da saúde e nos dando a anestesia, a escola trazendo a cultura, e o telefone, o telégrafo sem fio, o avião, o rádio, a televisão, coisas que não existiam naquele tempo. O homem primitivo ficou muito distante comendo a carne humana, que hoje seria um escândalo.

Afinal, houve progresso? O mundo melhorou? Sob o ponto de vista material, cultural, sim. Mas para vergonha da humanidade está aí a guerra ameaçando a paz do mundo. Agora o problema é moral. Houve religiões, é verdade, mas elas deram um péssimo exemplo para Humanidade. Fizeram guerras umas com as outras. Jogaram na fogueira os chamados hereges. Mataram em nome de Deus. Que horror! Esqueceram a recomendação do Mestre: meus discípulos se reconhecerão por muito se amarem. Guerra entre religiosos, já pensou? A fé transformada em fanatismo.

E continua a indagação: o mundo melhorou? Emmanuel, o iluminado guia de Chico Xavier responde?: “Não, enquanto a guerra, este fruto do egoísmo, esse monstro de mil faces, dominar o mundo. A verdadeira paz só reinará, quando o Evangelho de Jesus iluminar o coração do homem”.

Vale encerrar a crônica com esta história: certa vez, um grupo de missionários protestantes foi a uma ilha deserta pregar o Evangelho, o amor ao próximo. Cumprida a missão, aqueles missionários continuaram a viagem. Anos depois, voltaram à ilha. Aí perguntaram ao representante que deixaram lá, se os selvagens ainda comiam carne humana. A resposta foi: sim, mas agora eles usam garfo e faca.

É a tal coisa, nem sempre progresso é evolução...

Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário