Viver, conviver e transcender

Viver, conviver e transcender. Eis aí três verbos muito significativos. Muitos apenas vivem, isto é, atendem às suas necessidades fisiológicas, isto é, comem, fazem sexo, dormem e trabalham, que ninguém é de ferro. Mas viver mesmo é respirar. A gente não pode passar mais de um minuto de narinas tapadas. Absorver o oxigênio, esse alimento gratuito e invisível, é uma maravilha. Quando nascemos e recebemos pelas narinas o ar, os pulmõezinhos doem e a criança chora. Eis aí um importante ato de viver. E tudo graças aos pulmões, que muitos intoxicam de nicotina.


Viver é fundamental. Vivem o vegetal, o animal e o homem. Acontece que não se pode viver sozinho, a não ser para respirar. O resto dos nossos atos devemos aos outros. Enquanto o pessimista e ateu Sartre disse que "o outro é o inferno". Esqueceu ele esta verdade, quase um truísmo, que tudo que temos devemos aos outros.


Continuando, podemos também dizer que mais importante do que viver é conviver. E poucos querem aceitar esta verdade: nada somos sem os outros. Se, como disse o filósofo pessimista, o outro é o inferno, então procuremos transformá-lo num paraíso, isto é, num amigo ao invés de um inimigo. Não há maior burrice do que fazer inimigos. Procuremos, portanto, fazer amigos. Amigos de verdade. Só assim teremos paz, dormiremos bem, viveremos melhor. Manter inimigos é dormir sobre um barril de pólvora. Quer saber de uma coisa? Você conhece uma pessoa pelos amigos que tem, não é meu amigo Roberto Carlos, tu que desejas um milhão de amigos?


Nada, portanto, de inimizades. Daí aquela recomendação de Jesus: "Reconcilia-te, depressa, com o teu adversário enquanto estás a caminho com ele". Sim, porque depois, vai ser mais difícil. Aproveitemos a oportunidade para uma reconciliação.


Viver, conviver... E o que vem a ser transcender? Transcender é sublimar-se. É muito mais do que viver e conviver. É sair da materialidade, da horizontalidade para a verticalidade. Transcender é espiritualizar-se. É sair da animalidade para a angelitude. Muitos já conseguiram esse estado divino.


Certa vez Jesus disse que "éramos deuses". Disse mais. Disse deveríamos ser perfeitos como o Pai, isto é, Deus.


Mas a subida para esse estado de sublimação só ocorre com a transcendência.


Você começa a transcender nas pequenas coisas. Uma leitura edificante, uma boa música, uma conversa sadia, um passeio à beira-mar, uma oração fervorosa, uma visita a um jardim e assim por diante. A vida não é somente comer, fazer sexo, trabalhar incessantemente. Muitos procuram transcender bebendo álcool ou tomando droga. Eis aí uma transcendência que não lhe dá paz.


Viver, conviver, transcender. Uma trindade muito importante em nossa existência. Mas o importante é fazer bem tudo isso. Não sejamos apenas animais ou homens. Sejamos deuses, como advertiu Jesus. A vida é muito importante para se botar fora. E ninguém é feliz sem a transcendência.

Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário