O cavalo, sim senhor!

Ah, o cavalo, como admiro este animal, que, outrora, era o principal transporte dos imperadores e das elites. Sim, havia o jumento, mas este era um transporte humilde. Nenhum estadista montaria num jumento. Eles preferiam o cavalo.


E fico pensando, que seria da nossa Independência, da nossa República, se não fosse sua excelência o cavalo? O "Independência ou morte" de Dom Pedro I e o "Viva a República" do marechal Deodoro, foram dados na garupa de um cavalo


Em todas as cidades do mundo não faltam monumentos, onde aparecem, montados num cavalo, grandes personagens da História.


Lembrar que um certo imperador, chamado Caligula, tanto admirava o cavalo que o fez senador. E, pensando bem, é melhor um cavalo senador do que um senador cavalo...


A verdade é que o cavalo é merecedor de todas as mossas homenagens, assim como o humilde jumento, não esquecendo que quando Jesus desejou fazer aquela triunfal entrada em Jerusalém, foi montado num burrico, que Ele pediu emprestado. O que não é de estranhar, porquanto o meigo nazareno não quis nascer num palácio, mas, sim, numa bucólica manjedoura, ao lado de animais domésticos.


Mas, voltando ao cavalo, não existe animal mais resistente, mais limpo, mais sadio, do que ele. Até as fezes cheiram. Seria devido à alimentação? O cavalo só se alimenta de capim, que é fácil de ser encontrado. Nada de carne. Só capim. E eu fico pensando, por que os vegetarianos não experimentam o capim na sadia alimentação?


A carne apodrece, mas o capim, não. E, continuando, o que mais admiro no cavalo é uma certa dignidade. Você nunca viu esse nobre animal brigando. E há ainda quem diga, a respeito de um estúpido: "aquilo é um cavalo". Não, leitor, esse animal, como defesa, só usa o coice, quando é importunado, e não agride ninguém. O homem é que, apesar de racional, muitas vezes não passa de um estúpido.


O cavalo é merecedor de todas as homenagens. Aliás, eu soube, faz tempo, que um prefeito de uma cidade do nosso interior, achou de construir um monumento em que aparece sua excelência o cavalo, bem na entrada da cidade, a quem, desde já, parabenizo.


E a nossa polícia ainda usa o cavalo como transporte. Dá gosto vê-lo, elegante, sereno, obediente, trotando pelas avenidas, colaborando com a segurança pública,


Quando eu era menino, meu pai me deu um cavalinho de pau de presente. Ah, como gostei! E agora estou me lembrando do Cavalo de Tróia dos gregos, que também era de pau. Cavalo e jumento, como foram e continuam sendo úteis à humanidade! O jumento é o símbolo da humildade. E hoje, há muitos deles pelas ruas de nossa capital, mal alimentados e mal tratados pelos seus donos. Curioso, outrora havia, nesta capital, a Sociedade Protetora dos Animais...


Alimentar-se só de capim, como é que pode? Sei não, leitor. Só sei que não há animal mais sadio, mais resistente, mais tranqüilo do que o cavalo. O cavalo, sim senhor! Vou, já já, tomar um chá de capim-santo...

Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), cronista paraibano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário

Deixe o seu comentário