Sorriso do Sol, Choro da Chuva

Desde que me entendo de gente nunca vi tanta alternância meteorológica: um dia de sol hoje, um dia de chuva amanhã. Parece até que o sol fez um acordo com a chuva: “hoje é sua vez, amanhã será a minha”. E nessa nova parceria, chuva e sol vão caminhando juntos.
Não dá nem para a gente reclamar. Se o céu cobriu-se de nuvens, se a escuridão desceu sobre a Terra, depois de algumas horas, a luz vai expulsando as nuvens, e o sol volta a reinar.
E nessa união de extremos, podemos tirar uma excelente lição: que devemos conciliar as diferenças, que devemos aceitar as diversidades, que devemos caminhar para unidade.
Viver é coexistir, é conviver. Portanto, saibamos conviver com as diferenças. Disse bem o filósofo: nenhum homem é uma ilha.
Agora mesmo o sol desfila na paisagem com muito charme. Não demorará muito e tudo se cobrirá de nuvens. Aí teremos escuridão invés de claridade. E é necessário que haja essa dança dos contrastes. É nisto que reside a beleza da vida. Não fosse assim, tudo cairia na monotonia, no tédio. É preciso que existam as trevas para darmos valor à luz. É preciso que haja a doença para darmos valor à saúde. É preciso que ocorra o barulho para valorizarmos o silêncio.
Que venham o sorriso do sol, o calor do sol, a luz do sol . Que venham depois o choro da chuva, o frio da chuva, a escuridão da chuva. E nada de reclamação, nada de revolta, nada de julgamento, nada de apego, nada de exclusivismo.

Sorrisos e lágrimas, alegria e tristeza, presença e ausência, vida e morte. Eis o eterno ritmo da vida.

Ilustração: Staffa, Fingal's Cave (óleo sobre tela, 1832) - Joseph William Tuner
Patrono do Blog
Carlos Romero (1923-2019), cronista paraibano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. Anonymous16/8/08 07:02

    meu caro cronista, o "acordo entre o sol e a chuva" foi a ideia mais poetica, que so um poeta como voce, poderia imaginar. se ja sou assiduo leitor de seus textos nos jornais o serei ainda mais neste seu excelente blog. grande abraco

    ResponderExcluir
  2. Maria Olindina Formiga18/8/08 00:42

    Olá, Carlos Romero!
    Leio com muito prazer suas crônicas nos jornais: Correio da Paraíba e Contraponto. Seus textos são de uma beleza poética incrível.
    Sim, "é preciso ocorrer o barulho para valorizarmos o silêncio."
    Adorei!
    Parabéns e Boa Sorte!
    Maria Olindina*

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário