A Lição dos Outros

Tudo na vida nos ensina alguma coisa, ou muitas coisas. E quanto às pessoas nem se fala. Sem perceber, nós somos professores. Professores de paciência, de humildade, de tolerância, de amor, de bondade, de fé, de otimismo, de alegria, e assim por diante. Também há outras disciplinas que são ensinadas: o desânimo, o pessimismo, o ódio, o ciúme, a cólera, a impaciência, a irritação, a preocupação.

Ah, leitor, como somos influenciados e como influenciamos! Eu tenho aprendido muito com as pessoas. Mas muita gente não dá conta disso. Não presta atenção às atitudes, aos gestos, aos atos dos que participam de seu relacionamento diário.

Dizia o grande Bacon que saber é poder. O ignorante é um ser vulnerável. Quanto mais conhecimento, melhor. A curiosidade jamais deve ser perdida. Pena que haja pessoas por aí, indiferentes, apáticas ao conhecimento. Eu tenho dó de quem diz "para que eu quero mais aprender?"; ou "papagaio velho não aprende mais; ou ainda "o que já sei é o bastante". Pessoas assim estão mortas e não sabem.

O conhecimento é o oxigênio da vida. E não cessará nunca essa curiosidade do saber. Quanto mais a gente sabe, mais sabe que não sabe. O velho Sócrates tinha razão quando dizia "o que sei é que nada sei." O ignorante ou o pernóstico é que acha que sabe tudo...

A paciência, de todas as virtudes, é a mais dificil. No entanto, tem pessoas que estão perdendo a paciência a todo momento em face do telefone ocupado, do trânsito engarrafado, do carro enguiçado, das situações que a vida nos impõe a fim de que saibamos ser pacientes. A vida é uma grande mestra da experiência. A todo instante ela está nos submetendo a testes, a experimentos, a desafios.

O relacionamento diário é um verdadeiro laboratório onde testamos nossas virtudes. Tudo o que acontece é necessário. E o necessário não deixa de ser bom. Jesus ensinava: " é necessario que venha o escândalo, mas ai de quem é responsável por ele".

Estejamos, portanto, alertas. Alertas e curiosos. Em face de uma situação vexatória ou de uma pessoa perturbadora façamos a seguinte reflexão: o que é que esse fato está me ensinando? Qual a lição que essa pessoa está me dando? Muito cuidado com as lições que recebe. Jamais siga a que for negativa. Lembre-se que você também é um professor. É responsável pelo que está ensinando aos outros.

O AUTOR
Carlos Romero é escritor, jornalista, membro da Academia Paraibana de Letras e tem a crônica como forma literária favorita. Um estilo no qual retrata com forte dose de lirismo e humor suas sensíveis observações acerca do cotidiano.
RECOMENDE AOS SEUS AMIGOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários

Postar um comentário